Pelo Mundo ESPM – Shanghai.mp4

Pelo Mundo ESPM Shanghai – cidade de paradoxos e mudanças no mar da China Oriental. O nome Shanghai significa “no mar”, o que é apropriado, dada a localização da cidade na foz do rio Huangpu. Shanghai era uma pequena vila…

Pelo Mundo ESPM - Shanghai.mp4

Source

0
(0)

Pelo Mundo ESPM Shanghai – cidade de paradoxos e mudanças no mar da China Oriental.
O nome Shanghai significa “no mar”, o que é apropriado, dada a localização da cidade na foz do rio Huangpu. Shanghai era uma pequena vila de pescadores e não se tornou uma cidade até o século 13. Adjacente às províncias de Jiangsu e Zhejiang, a cidade está localizada na costa leste da China. Shanghai fica na margem sul do rio Yangtze e perto da costa adjacente ao mar da China Oriental. Após a primeira guerra do ópio, os britânicos abriram a cidade aos estrangeiros. A vila logo se transformou em uma cidade dividida em concessões autônomas administradas simultaneamente pelos britânicos, franceses e americanos, todos independentes da lei chinesa. Cada presença colonial trouxe consigo sua cultura, arquitetura e sociedade particulares. Embora Shanghai tivesse sua própria cidade chinesa murada, muitos residentes nativos ainda escolheram morar nos assentamentos estrangeiros.
Assim começou uma mistura de culturas que moldou a abertura de Shanghai à influência ocidental. Devido a vários impactos culturais, a cultura de Shanghai é muito aberta, criativa, moderna e abundante. A economia de cidade floresceu durante os séculos 18 e 19, no final da dinastia Qing, devido à sua localização favorável e bom porto. O comércio mundial floresceu cada vez mais em Shanghai. A cidade se tornou um importante centro industrial e porto comercial que atraiu não apenas empresários estrangeiros, mas também migrantes chineses de outras partes do país. Shanghai foi a cidade asiática mais moderna da década de 1930 e foi um importante porto financeiro da Ásia.
A partir de 1970, a economia entrou em um período de estagnação, e após a morte de Mao Zedong, a liderança do Partido Comunista voltou-se para reformas orientadas para o mercado para salvar a economia em dificuldades. No entanto, em 1972, com a Revolução Cultural ainda em andamento, Shanghai sediou a reunião histórica que ajudaria a estabelecer as bases para a China de hoje. O primeiro-ministro Zhou Enlai e o presidente dos EUA, Richard Nixon, assinaram o Comunicado de Shanghai, que permitiu que os dois países normalizassem as relações e incentivou a China a abrir negociações com o resto do mundo. Em 2011, Shanghai foi listada como o quinto centro financeiro global.
Shanghai é a maior cidade do mundo quando medida pela população dentro dos limites da cidade. Apenas metade de um por cento da população de Shanghai não é chinesa Han, incluindo estrangeiros. O número de pessoas que vivem em Shanghai é mais do que toda a população da Nova Zelândia. Os nativos de Shanghai têm seu próprio dialeto chamado Shanghainese, e pessoas de outras partes da China não conseguem entender. A China é conhecida por suas multidões, e Shanghai é possivelmente o melhor exemplo disso. O tamanho atual, de sua população em abril de 2020, chega a 27.058.000 e está aumentando continuamente. Shanghai tem o maior sistema de metrô do mundo, com 676 quilômetros de extensão, o qual cobre seus distritos e mantém essa cidade funcionando todos os dias. Quando o governo chinês decidiu fazer de Shanghai a Nova York da Ásia, certamente adotou o lema de “cidade que nunca dorme.” O caminho de Shanghai para esse destaque começou em 1990, quando o líder da China, Deng Xiaoping, escolheu a cidade para servir como símbolo do renascimento comercial do país, “Se a China é um dragão”, ele disse, “Shanghai é a cabeça.” Hoje, história e modernidade coexistem com o comercialismo. Da arquitetura colonial da antiga concessão francesa aos arranha-céus iluminados por neon que se projetam às margens do rio Huangpu todas as noites. Shanghai é uma cidade de paradoxo e mudança.

0 / 5. 0

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *